BOAS NOTÍCIAS


Vitor tinha uma novidade para contar.


Pensou pra quem poderia contar. Beatriz estava dando aula, Mario e Larissa tinham ido viajar, Marcel estava morando em outro estado, Enzo devia estar cuidando dos cinco filhos neste momento, Carla morava longe, Helio tinha desaparecido já fazia algum tempo e Jorge devia estar trabalhando que nem um louco.


- Alô? – disse Vitor depois de ligar para Jorge – que está fazendo?


- Nada – disse ele – quer ir tomar umas?


Aquilo era quase como um filme de terror, como assim Jorge não estava fazendo nada? Ele sempre foi o Workaholic do grupo, será que estava sonhando? Vivendo em outra dimensão? Era uma noite de quarta feira e Jorge tinha proposto de ir beber umas? Imagens de cenas do seriado Além da Imaginação bombardearam seu cérebro deixando-o transtornado.


- Beleza – disse Vitor estranhando e se beliscando pra ter certeza que era real – to saindo daqui.


Combinaram o bar, Vitor chegou depois porque não tinha carro.


- Tenho uma novidade – disse Vitor feliz.


- Eu também – disse Jorge sorrindo, ele só podia ter ganhado um dinheirão na loteria, era isso, estava milionário.


- Vou começar a trabalhar – disse Vitor se adiantando à notícia – começo semana que vem.


- Eu pedi demissão – falou Jorge virando um copo de cerveja. Não estava milionário.


Era a primeira vez que Jorge ia ficar sem trabalhar, Vitor achou estranha a notícia e se beliscou de novo, ainda mais porque ele mesmo iria começar a trabalhar depois de um ano de férias.


Jorge estava de saco cheio de fazer tanta hora extra e ganhar sempre a mesma merda de salário, tinha ido até a sala do chefe e gritado “EU ME DEMITO!”. O Chefe ficou atônito, afinal Jorge sempre fora calmo e competente no trabalho, tentou argumentar para Jorge reconsiderar, mas nenhuma palavra conseguiu sair de sua boca com o choque, ao invés disso deu uma viradinha e deixou um peido escapar fazendo um barulho curto e grave.


- Essa foi a única reação do cara? – perguntou Vitor incrédulo com o relato – um Peido?


- Pois é, anos de trabalho e a argumentação dele foi um peido, sem contar as contorções no rosto – Jorge parecia aliviado e descontraído como há muito tempo não ficava – Vai ver ele estava com caganeira, sei lá! E você? Vai trabalhar no que?


- Contínuo – disse Vitor orgulhoso – sempre contínuo!


Vitor tinha uma carreira de contínuo, afinal ninguém ia contratar ele pra exercer funções de muita responsabilidade mesmo, então já havia se habituado ao cargo, pelo menos sobrava tempo pra escrever.


- Porra! Mas contínuo de novo? – foi a única coisa que Jorge conseguiu pensar, os parabéns vieram depois.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 by Me Leve Para Longe

  • Twitter Classic
  • Facebook Classic