April 22, 2019

October 9, 2018

August 22, 2018

August 6, 2018

Please reload

Posts Recentes

EU GOSTO DA EUROPA E A EUROPA GOSTA DE MIM

June 30, 2019

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

O TRABALHO

October 31, 2010

 

Vitor estava finalmente trabalhando, depois de um pouco mais de um ano torrando o pouco dinheiro que tinha em bebidas e macarrão em todas as refeições (as vezes sem molho) ele finalmente estava tirando o pé da lama. Trabalhava em um clube, desses com piscinas e pessoas saradas praticando esportes. Ficava andando pra lá e pra cá com um rádio olhando as gostosas de biquínis e umas gordas horrendas usando os mesmos trajes, com a diferença de que nessas últimas os biquínis minúsculos entravam nos enormes traseiros cheios de furos de uma maneira nada sexy.

 

- Tio, chuta a bola pra cá – diziam uns garotos jogando bola em uma das quadras. Vitor nunca jogara futebol e devia fazer uns vinte anos que não chutava uma bola, olhou para o objeto enquanto os garotos pediam que desse um chute. – Tio filho da puta! – gritavam os mesmos garotos quando Vitor chutou a bola e ela foi pra outra direção, foi então que percebeu que definitivamente não sabia como chutar bolas.

 

Todos já o conheciam por ali, era “O Escritor”, então mesmo não sendo bombado com camiseta justa chamava certa atenção, afinal de contas ninguém precisava saber que havia publicado uns contos em algumas antologias e quase não havia tido retorno nenhum sobre eles. Não era um fracasso, longe disso, só que estava bem longe de ser um sucesso também.

 

O pior de tudo de trabalhar era ficar sem tomar uma cerveja, as vezes a boca ficava seca, um suor escorria pela sua testa e a única coisa que ele pensava era “Cerveja, cerveja, cerveja, mulher gostosa de biquíni ali na frente, cerveja, cerveja e cerveja”. Pensavam que era um bom moço, mas no fundo era só mais um bêbado fingindo trabalhar.

 

O lugar pagava bem, estava almoçando carne de novo, mas em compensação andava o dia inteiro pelo clube fazendo rondas e mantendo a ordem. Gostava do seu emprego. Quando alguém estava fazendo alguma bagunça podia falar “Hey, você! É.... Você mesmo moleque! Não pode fazer isto aqui no clube não, cai fora daqui se não te encho de porrada!” e o moleque sai correndo reconhecendo uma verdadeira autoridade.

 

- Sol filho da puta – dizia ele em voz alta enquanto andava, quando algum cliente olhava pra ele fingindo surpresa ao ouvir tais palavras ele repetia olhando pro sujeito – Sol filho da puta!

 

Agora Vitor acorda todo dia abrindo a janela esperando um tempo chuvoso, porque nesses dias o clube fica vazio e ele pode ficar parado em um posto jogando Campo Minado no computador.

 

Mas ele gosta do seu trabalho, gosta de xingar os garotos, gosta de secar as mulheres e gosta do salário que paga a cerveja no final do expediente.

 

É... Vitor se deu bem.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags