DIVAGAÇÕES SOBRE A AMIZADE


Dizem que nossos primeiros amigos são nossos irmãos, no meu caso é bem verdade. Venho de uma família grande com cinco filhos, ou seja, tive quatro irmãos. Eu me dava bem com a minha irmã mais velha, mesmo sendo tão diferente dela e tendo uma diferença de idade de cinco anos. Eu era o filho mais tímido e gostava de ficar no meu canto, enquanto ela gostava de ir a baladas, sempre com namorados e parecia curtir a vida. Conforme fui crescendo comecei a achar a vida dela tão vazia que depois de muito tempo comecei a preferir a minha vida cercada de livros e filmes. Ela era a mais inteligente de todos os cinco, disto eu tenho certeza, mas acho que ela escolheu ser uma pessoa comum e dar descarga no cérebro dela a anos atrás.


Depois dela nasceu meu irmão mais velho, foi o meu melhor amigo pra toda a vida, nos dávamos super bem, éramos parecidos em tudo, gostávamos das mesmas coisas, ouvíamos as mesmas músicas, discutíamos sobre os mesmos assuntos e líamos os mesmos livros. Tínhamos uma diferença de idade pequena, menos de dois anos. Ele era craque no videogame e eu sempre o fazendo ler meus gibis. Quando ele atirou na própria cabeça ninguém entendeu nada. Minha vontade de ir pro espaço só aumentou e a família nunca mais foi a mesma. Ele parecia ser o filho modelo, tinha um bom emprego, uma namorada e uma vida regrada... Essa era a única diferença entre nós dois, enquanto ele era o modelo a ser seguido eu era a ovelha negra. Acho que as cobranças foram demais pra ele, mas acho que nunca vamos saber realmente.


Logo depois que eu nasci logo veio minha irmã mais nova, chata pra caramba. Mimada, briguenta, fresca, metida, ignorante, retardada, mal educada, entre muitas outras coisas. Nunca me dei bem com ela, brigávamos o tempo inteiro... Na verdade ela brigava o tempo inteiro, com meus pais, com meus irmãos, com suas amigas, com os vizinhos, com todo mundo. Já faz uns dez anos que não tenho nenhum contado com ela, chegou um momento em que não tínhamos mais nada para dizer um ao outro. Foi a pessoa mais difícil com quem convivi e quando finalmente sai de casa foi um alivio deixá-la para trás na minha vida.


Por último veio o meu irmão mais novo e sempre tivemos uma excelente convivência. Ele tentava me copiar em tudo e eu tentava fazer dele uma pessoa legal. Ele lia meus gibis, ouvia minhas músicas e tudo o mais. Os três garotos se davam bem, mas o pequeno sempre era excluído em várias coisas. Meu irmão mais velho e eu comprávamos doces e esperávamos ele dormir para comermos sem ele. Quando cresceu dei uma força pra ele quando ele mais precisou e quando virei as costas ele roubou minha Silvana. Desgraçado maldito! Gostaria que ele morresse antes de mim, olho para o Planeta Terra e torço para que tenha uma tempestade em algum lugar que lhe caia um raio na cabeça, mas as chances são muito pequenas.


Irmãos realmente são nossos primeiros contatos com a amizade, depois vieram muito mais, amigos de escola, amigos de trabalho, amigos de faculdade, mas é na família que tudo começa.


Olho para as estrelas e só agora me dou conta de que falta pouco para encontrar com meu irmão seja lá onde ele estiver. Isto me deixa um pouco mais feliz. Meus músculos se descontraem pela primeira vez desde o acidente.


- Estou indo – sussurro para ele – espero que possa me ouvir!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 by Me Leve Para Longe

  • Twitter Classic
  • Facebook Classic