April 22, 2019

October 9, 2018

August 22, 2018

August 6, 2018

Please reload

Posts Recentes

EU GOSTO DA EUROPA E A EUROPA GOSTA DE MIM

June 30, 2019

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

DIVAGAÇÕES SOBRE A LIBERTAÇÃO

January 20, 2013

 

“Mas onde se deve procurar a liberdade é nos sentimentos.

Esses é que são a essência viva da alma”

Johann Goethe

 

Se um passarinho é criado a vida inteira dentro da gaiola, dizem que ele não sobrevive se você o soltá-lo, mas talvez as horas em liberdade sejam os únicos momentos da sua existência que tenham valido a pena.

 

Vivemos sob grilhões invisíveis. Somos escravos de nós mesmos. Colocamos grades nas janelas para deixar o perigo lá fora, mas somos nós que perdemos a liberdade. Somos como passarinhos na gaiola, mas e se resolvermos ir viver lá fora? Será que não sobreviveremos? Será que não valerá à pena?

 

É somente na completa solidão que conseguimos nos entender completamente. Já dizia Fernando Pessoa que um homem que não pode viver na solidão é escravo das outras pessoas... Algo assim... Sempre fui escravo das outras pessoas. Deixei de fazer muita coisa e de sonhar com inúmeras possibilidades por causa dos outros. Achava que devia algo a meus pais, meus irmãos, amigos e namoradas. Deixei de viajar pelo mundo com uma mochila nas costas para que eles não ficassem preocupados comigo. Deixei de prestar assistência humanitária em guerras para que eles não tivessem que me enterrar, deixei de enxergar a vida com menos responsabilidade porque achava que eles esperavam demais de mim... E talvez esperassem.

 

Mas e o que eu esperava de mim?

 

Ah, eu esperava muito mais.

 

Muito mais felicidade, amor, dinheiro, realização, fraternidade, respeito, atenção, carinho e muitas outras coisas que tive, mas não na medida em que eu esperava. Não na medida em que eu queria.

 

Agora, aqui no espaço, eu sou livre. Alcancei minha libertação de tudo e de todos e agora tenho que encarar e abraças a morte com a mesma intensidade que busquei a liberdade, porque senão o ciclo não estará completo.

 

A morte não é a libertação de tudo, você pode se libertar dos grilhões invisíveis e continuar vivo. Eu apenas dei azar. A libertação deve vir antes da morte e não com ela. Agora eu entendo.

 

É preciso estar atento aos sentimentos para saber o que você quer. Quem você é.

 

Eu sou um astronauta, que ama a humanidade, que queria estar naquele planeta cheio de problemas e viver uma vida plena, feliz, cercado de pessoas com quem me importo. A felicidade só é possível cercado dessas pessoas, mas é preciso entender que elas não são necessárias, pois um dia elas vão embora e sua vida vai continuar sem elas. Vão morrer ou seguir caminhos diferentes. E é nessa hora que é preciso entender que por mais que elas sejam especiais e você as ame, é preciso abrir a porta da gaiola e deixá-las voar.

 

Vocês que me amam. Todos vocês. Agora é à hora de abrir a porta da minha gaiola e me deixar voar.

 

Estou livre.

 

Obrigado.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags