ROCK IN RIO III (1º SÁBADO)


Foi um dos maiores eventos da década, aquele Rock in Rio III, mesmo tendo dias que não tinham nada haver com rock. Vitor, seu amigo Jorge e seu primo Giorgio com sua namorada Edith foram todos para o Rio de Janeiro. Era o dia 13 de Janeiro de 2001, Vitor havia largado a faculdade e já se preparava para começar ao cursinho no mês seguinte, estava com vontade de extravasar.


Quando chegaram à cidade do rock, o primeiro show já começara no palco principal. Cássia Eller estava cantando alguma de suas baladinhas.


- Eu que não quero ver isso – disse Vitor.


- Nem eu – confirmou Jorge.


Giorgio e a namorada se separaram ali, foram ver o show da Cássia Eller. Vitor e Jorge descobriram depois que ela arrancou a blusa e mostrou os peitos. Agradeceram aos céus por não terem ido naquele show. Ao invés disso estavam em um palco menor pulando ao show da banda Penélope, que era bem legalzinha e que havia sumido tão rápido como havia surgido.


Fernanda Abreu veio em seguida, Vitor quis ir ver o show, já que era apaixonado por ela. Em uma escala de mulheres bonitas, Fernanda Abreu vinha em segundo, logo após a Luciana Vendramini. Foi um show divertido, Evandro Mesquita fez uma participação especial relembrando os velhos tempos da banda Blitz, que tinha os dois em sua formação.


O calor era insuportável, um cara com uma mangueira molhava algumas poucas pessoas que conseguiam chegar próximo a ele. Vitor tirou a camiseta e tentou, sem sucesso, ser molhado. Um amigo de sua irmã viu Vitor na televisão em um flash ao vivo, inconfundível com aquele cabelo amarelo arrepiado no estilo Layne Stanley no álbum Dirty.


Quando o Barão Vermelho entrou em cena, já sabiam que era a hora da janta. Um show completamente dispensável. Tinham que se preparar pra chegar próximo ao palco durante os próximos dois shows seguidos.


O sol começava a se por no horizonte. A cerveja mais cara do mundo era vendida por ali. Um pedaço miserável de pizza tinha um valor, que se doado, poderia saciar uma pequena vila africana durante uma refeição. A cerveja nem estava tão boa, era de uma marca vagabunda, e a pizza parecia um pedaço de borracha bem fino.


Agora era começar a se enfiar na multidão e ir em direção ao palco. Os shows principais iriam começar.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 by Me Leve Para Longe

  • Twitter Classic
  • Facebook Classic