April 22, 2019

October 9, 2018

August 22, 2018

August 6, 2018

Please reload

Posts Recentes

EU GOSTO DA EUROPA E A EUROPA GOSTA DE MIM

June 30, 2019

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

IMALA

November 27, 2014

 

Ela acompanha com seu olhar cada gesto dele, cada movimento. Enquanto ele está no palco cantando é como se fosse a única pessoa no Edifício para ela, é como se em todos os andares só existissem os dois. Imala ama Bram como talvez nem ele mesmo compreenda.

 

Não importa que este amor seja real ou não, pois é fato que todos os sentimentos humanos não passam de reações químicas no cérebro. Os duendes mecânicos já sabem disso há muito tempo, é só obter a reação química correta que todos os seres humanos são facilmente manipulados. Imala não passa de uma experiência pelas mãos dos duendes mecânicos. O amor que sente por Bram é apenas o elemento químico certo usado no momento apropriado.

 

Enquanto ele canta aquela música em que diz...

 

Eu assisto as ondulações alterando seus tamanhos

Mas nunca deixa a corrente

De impermanência morna e

Assim os dias flutuam por meus olhos

Mas ainda os dias parecem os mesmos

E as crianças em que você cuspiu

Enquanto tentam mudar os mundos deles

São imunes as suas consultas

Eles estão perfeitamente conscientes do que estão passando

  

...Ela desperta de tudo e passa a odiá-lo, mas sabe que é um ódio por causa das manipulações inconscientes que passou pela mão de seus pequenos inimigos cibernéticos. Porque mesmo sem a alteração química ela o amaria facilmente sem interferência nenhuma.

 

Mas porque o ódio e o despertar de tudo acontece só no trecho desta música?

 

Imala não imagina que as canções de Ferzan não são compostas por ele, imagina menos ainda que esta em específico fosse composta pelo Maquinista.

 

O amor dela é menor e menos válido por culpa dos duendes mecânicos?

 

O sexo tem um menor significado? O pau na sua boca é menos gostoso? O arrepio que sente quando goza é pura fantasia daqueles putos duendes mecânicos? Imala, se tivesse consciência de tudo o que tem passado, não acreditaria nisso nem em um milhões de anos. Por mais que tenha alterações químicas no seu cérebro teria amado Bram de qualquer jeito, um dia ela vai conseguir provar que sim, mas até lá seu cérebro vai ser uma massa de modelar entre dedos de alumínio e porcas e parafusos que servem como ligamento.

 

Ele ainda canta, outra música, ela continua hipnotizada, o ódio passou, tudo o que quer é ir pra casa e dormir depois de uma boa foda.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags