April 22, 2019

October 9, 2018

August 22, 2018

August 6, 2018

Please reload

Posts Recentes

EU GOSTO DA EUROPA E A EUROPA GOSTA DE MIM

June 30, 2019

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

O MAQUINISTA ESTÁ MORTO

January 10, 2017

 

Em Memória de David Bowie

 

Desapareceu para achar longamente um novo maquinista. O antigo está morto, neste momento ele está flutuando de um jeito muito peculiar, e se as pessoas pudessem olhar por trás das paredes do Edifício, veriam que as estrelas estão bem diferentes hoje. Mas o novo maquinista há de surgir, enquanto isso não há viagens para fora do Edifício.

 

Vão de ferro até o Deus Fungo, pois o ferro é o caminho, ele tudo queima, o único medo do Deus-Fungo é o ferro, mas enquanto não houver um novo maquinista canhoto que vá longe demais o ferro será a estrada da enganação. A maneira Dele escapar. Mas Dele ninguém escapa.

 

Todos foram aos subterrâneos, que apesar do tamanho, foi suficiente para o adeus. Lá estavam os Duendes Mecânicos, mas não foram ao mesmo tempo, mas dando gritos para o nada que o mataram, perseguido por pequenas rodas verdes. 

 

No Mundo Poderoso do Fígado ele está, mas não é mais desperto, pois o abismo da morte era realmente fantástico.

 

Falam dele, aguardam as drogas mutiladas lá da rua. A droga azul. Fuga inevitável da manipulação dos Duendes Mecânicos. Fuga do controle do Deus-Fungo. Sem o maquinista só resta a droga azul, nada mais.

 

Cansado de sua missão, morreu chegando ao seu parecer sobre o Edifício. Lugar dos vivos que não vivem, lugar onde a morte não consegue chegar. Mas o parecer final apenas ao maquinista pertence.

Ele, o metrô, veio. Ele desapareceu por um longo tempo para achar um novo maquinista, mas ele voltou livre, como um pássaro azul e com cicatrizes que não podiam ser vistas.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags