April 22, 2019

October 9, 2018

August 22, 2018

August 6, 2018

Please reload

Posts Recentes

EU GOSTO DA EUROPA E A EUROPA GOSTA DE MIM

June 30, 2019

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

SOBREVIVÊNCIA

December 10, 2011

 

A irmã mais nova de Vitor ia se casar hoje, ele havia decidido não comparecer, não se dava muito bem com ela e se dava muito menos com um primo que iria estar lá, ia acabar dando bosta. Queria evitar confusão. Desejava tudo de bom para ela, apesar de todos os problemas do passado.

 

Pensou em como seus pais estavam felizes, em como essas coisas de ter filhos, casar, passar em um concurso público, trabalhar, ter carro, roupas novas e seguir um certo padrão da sociedade enchiam eles de orgulho. Vitor jamais teria isso, nunca iria saber o que era transmitir este sentimento de orgulho para os outros e não entendia porque se sentia tão mal quanto a isso. Ele havia escolhido como seria sua vida, tinha decidido por si só que caminho seguir e estava aguentando as consequências nas costas já fazia muito tempo.

 

A visão que as pessoas tinham dele é que sua vida era muito boa, cercado de bebidas e com alguns poucos amigos aparecendo na sua casa de vez em quando. Ele não bebia porque a vida era fácil, era exatamente o contrário, ele bebia porque a vida era uma puta de uma filha da puta e beber era a única coisa que fazia com que ela ficasse o mínimo suportável.

 

Não esperava que ninguém o entendesse mais, só esperava que o deixassem quieto no seu canto, ignorassem sua existência. Sentia como se estivesse involuindo, se transformando em alguma espécie de animal, gostava se sair caminhando pela chuva forte e grunhindo como se fosse um lobo ou um coiote. Sentir a chuva batendo no seu corpo, a noite envolta dificultando a visão, a postura curvada e os cabelos e a barba longa molhados, sentia vontade de gritar e até de atacar alguém qualquer.

 

Talvez fosse esta sua sina, se afastar cada vez mais da humanidade, ver aqueles seres tão diferentes dele ao longe, como um animal assustado na beira da estrada olhando os carros. Vitor se sentia feliz com quem ele é, com quem ele escolheu ser, mas ao mesmo tempo se sentia triste porque ninguém conseguia olhar para ele e enxergá-lo, ninguém jamais conseguiria compreendê-lo e estaria então sozinho para o resto da vida.

 

Vitor podia viver com isto.

 

Vitor podia viver com quase tudo, pois ele é forte como um lobo, poderia sobreviver em qualquer lugar sob qualquer situação... Se quisesse.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags