O MEDO


Vitor não se sentia bem, olhava o relógio e via os minutos passarem.


TIC


TAC


Olhava para os lados e suava frio. Estava com medo.


TIC


TAC


Tentou lembrar das situações que mais o assustaram. Lembrou-se de quando tirou sangue quando era pequeno, de quando assistiu ao filme do E.T. do Spielberg, de quando se perdeu no shopping, de quebrar o braço ao cair da bicicleta, de quando brigou na escola pela primeira vez, de quando seu avô morreu, de quando Marília morreu, de quando assistiu O Iluminado, de colocar uma arma na cabeça, de vomitar sangue depois de dias bebendo, do dentista filha da puta espetando sua gengiva e do medo de perder tudo que perdeu.


TIC


TAC


O relógio não parava, pensou que podia acertá-lo com um martelo, mas o tempo ia continuar andando. Porque esse medo agora? Porque esse arrepio na espinha?


TIC


PLAF!


Pronto, o relógio tinha sido destruído, ponto para Vitor, mas o tempo continuava passando.


Vitor continuava envelhecendo, o medo continuava com ele.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 by Me Leve Para Longe

  • Twitter Classic
  • Facebook Classic